Netlinks | Agência de SEO Certificada pelo SEMrush

SP

R. Florida 1738, Cj 121, Brooklin
Atendimento: (11) 2500-2228

BH

R. J. Achilles Veloso 160, Estoril
Atendimento: (31) 4042-5566

SP

Rua Florida 1738, Cj 121
Brooklin (11) 2500-2228

BH

Juiz Achilles Veloso 16
Estoril (31) 4042-5566

Como fazer SEO para e-commerce e conquistar os primeiros lugares no Google

Como fazer SEO para ecommerce e conquistar os primeiros lugares no Google

Quer atrair mais gente para o seu site e vender mais? Uma ótima solução pode ser realizar SEO para seu e-commerce. 

Nestes novos tempos em que as compras pela internet mudaram o modo de consumir da sociedade, é fundamental que os produtos e serviços de sua loja on-line tenham mais visibilidade e destaque. 

E para que possam ser mais facilmente encontrados no vasto território virtual, você pode utilizar de estratégias de SEO para e-commerce em seu site.

Isso vai deixar seu portal bem posicionado nos resultados orgânicos do Google e outros motores de busca.

Por meio de ações de otimização, sua página irá atrair um tráfego qualificado e permanente de visitantes para que estes venham a ser convertidos em vendas. 

Uma grande vantagem de gerar tráfego orgânico por meio de SEO é a economia dessa estratégia. Afinal, com ela não é preciso investir em anúncios, pois os usuários estão sempre nos buscadores realizando pesquisas sobre suas necessidades. 

Imagine quantas pessoas podem estar procurando agora por uma solução que seu e-commerce pode oferecer?

Neste texto, apresentamos mais benefícios do SEO para seu e-commerce.

Aprenda como aplicar as estratégias de otimização para que sua página apareça entre os primeiros resultados nas buscas e traga potenciais clientes para o sucesso de seu negócio.

O que é SEO?

Antes de contarmos como fazer SEO para e-commerce, vale a pena explicar rapidamente o que é SEO.

O Search Engine Optimization é uma estratégia de otimização para mecanismos de pesquisa.

Ou seja, cuidados e ações para tornar um portal mais amigável ao Google e melhorar seu posicionamento nos resultados de busca.

Basicamente, quanto melhor o posicionamento do site, mais chances ele tem de ser acessado pelos usuários. Afinal, o portal vai aparecer logo entre os primeiros lugares no mecanismo de busca.

Você pode saber mais sobre o assunto no texto: O que é SEO: confira o guia da Netlinks de otimização de sites.

Vantagens de fazer SEO para e-commerce

São vários os atrativos de fazer SEO para uma loja virtual. Bem mais do que aparecer nos primeiros lugares do Google, seu negócio vai se tornar uma autoridade em vendas. Acompanhe a seguir!

Autoridade do seu negócio

Ao fazer um bom SEO para e-commerce, um negócio consegue conquistar confiança e credibilidade para sua marca. Principalmente porque a loja virtual não estará apenas preocupada em vender, mas também em solucionar problemas do usuário.

Esse é um aspecto importante tanto para o consumidor, quanto para o Google. O usuário que pesquisa algo on-line, por exemplo, não quer apenas realizar uma compra, ele deseja solucionar uma “dor”. O e-commerce precisa mostrar que é a melhor opção para sanar essa dor.

Além disso, vários aspectos trabalhados pelo SEO são considerados fatores de rankeamento pelo Google. É considerando esses fatores que o mecanismo de busca apresenta uma loja nos primeiros ou últimos resultados de uma pesquisa.

Para ter um número considerável de vendas, é sempre interessante aparecer entre os primeiros resultados do Google. Logo, você quer sim construir sua autoridade no mercado virtual.

Vale também dizer que seu e-commerce poderá ganhar autoridade no mercado, superando a concorrência.

Conversão em vendas

Outra vantagem de realizar uma estratégia de SEO é conseguir atrair um tráfego qualificado para o site. Ou seja, pessoas realmente interessadas em seu produto ou serviço.

Com essa conversão de vendas maior, seu negócio vai faturar mais. Ao mesmo tempo, ele será visto pelo Google como uma ótima opção de e-commerce.

Otimização do site

Vale também destacar a otimização que o SEO realiza em um site. Ele torna o portal mais amigável, resultando em mais visitas, conversões e vendas.

Dicas de SEO para e-commerce

Uma boa estratégia de SEO para e-commerce requer a realização de várias etapas. Só que, se bem executadas, elas podem trazer resultados exponenciais.

Por isso o SEO é tão procurado por negócios que desejam aumentar suas vendas on-line.

Abaixo, apresentamos algumas dicas de SEO para o seu e-commerce. Acompanhe!

Utilização de palavras-chave

A pesquisa de palavras-chave é o ponto de partida da prática de SEO. É por meio delas que seu conteúdo será encontrado pelo usuário no momento da busca. 

Ou seja, palavra-chave são os termos de busca, o que o usuário pesquisa e tem seu site como resultado.

Um site deve atrair tráfego em todas as etapas do funil de vendas. Por isso, é importante que ele seja trabalhado para os diferentes tipos de palavra-chave.

Como as Head Tail, usadas quando o consumidor está começando a sua pesquisa. 

Muitas vezes, nessa etapa, o usuário nem sabe o que ainda pode encontrar. Se seu portal for apresentado no resultados das buscas, o consumidor pode vê-lo como uma solução.

Já as palavras Long Tail são as ideais para o momento em que o indivíduo está decidido sobre a compra. Se ele já sabe o que deseja, precisa entender seu e-commerce como a melhor opção de compra.

Um exemplo: se seu e-commerce vende bijuterias, “bijuterias para comprar” pode ser uma Head Tail. Já “bijuterias para combinar com jeans” será uma Long Tail. 

Se você ranquear para ambos tipos de palavras-chaves, terá muito mais chances de aparecer como uma opção ao usuário. 

Melhor ainda: se seu site ranquear para palavras mais gerais e para as bem específicas (Long Tail), o consumidor vai perceber que você deve ser mesmo uma autoridade no mercado. Do contrário, não apareceria tanto como um bom resultado no Google.

É importante que as palavras-chave importantes para o seu negócio estejam presentes em locais estratégicos do site. Por exemplo: títulos, subtítulos, introdução, meta-descrição, tags de imagens e URLs.

Com o trabalho correto de palavras-chaves, o Google e outros motores de busca entenderão que seu portal entrega o que os usuários estão procurando. Assim, será mais fácil aparecer nos primeiros resultados de busca.

Backlinks suficientes e diversificados

Um dos fatores de ranqueamento considerado pelo Google é o número de links de qualidade apontados para um site. Isso pode garantir o topo no buscador. 

O Google entende essa técnica de SEO da seguinte forma: se vários sites estão apontando para seu e-commerce, você deve ser uma autoridade no ramo. 

Basicamente, o que o mecanismo de busca quer é oferecer resultados de qualidade ao usuário, e um e-commerce de  autoridade deve trazer isso. Logo, quanto mais backlinks um site tem, melhor costuma ser seu posicionamento.

Mas de nada adianta ter um único site com muitos links direcionados para a sua página. É melhor que tenham muitos sites diversificados com apenas um link que seja. 

Essa variedade e quantidade de domínios de referência são fundamentais para impulsionar seu tráfego. 

Assim, é preciso que seu negócio pense em boas ações de Link Building, considerando que quantos mais links estiverem apontados para seu site de e-commerce, mais os buscadores entendem que ele traz conteúdo relevante para os usuários, deixando-o bem posicionado nas pesquisas. 

Estabelecer contatos, “roubar” backlinks da concorrência e buscar parcerias com páginas renomadas, que tenham a ver com seu negócio, pode render bons links que irão trazer visibilidade e fortalecer sua marca.

Mesmo assim, atenção. Quando falamos de backlinks, é importante que eles sejam de qualidade. Ou seja, eles devem vir de outros sites que também são autoridade, que são bem visitados e oferecem o que o usuário deseja.

Se seus backlinks vierem de sites “duvidosos”, o efeito poderá ser o contrário, e sua relevância vai cair. Principalmente se você utilizar técnicas de Black Hat — evite-as!

URLs amigáveis

A URL é um fator considerado importante pelos motores de busca, uma vez que ela informa o assunto principal de uma página. 

Quanto mais curta, simples e compreensível for sua URL, melhor seu site ficará no ranking das pesquisas. 

Ela deve descrever claramente o produto, o conteúdo daquela página e ainda, se possível, a categoria a qual faz parte.

Vamos a um exemplo. Na página, você vai vender um guarda-roupa preto de duas portas. Então, será interessante se o url do seu produto for algo semelhante a: seusite.com/guarda-roupa-preto-duas-portas, em vez de algo como seusite.com/produto-03.

O entendimento do Google sobre o que a página oferece será bem melhor. 

Descrição dos produtos

Outro lugar estratégico em que a palavra-chave deve aparecer é na descrição do produto. Não apenas na meta-descrição da página, mas também no texto que apresenta o produto vendido.

Pensando nisso, para fazer SEO para seu e-commerce, produza um conteúdo original e atraente para seus produtos e categorias. 

Nada de usar aquelas informações padronizadas do fabricante! Isso pode não oferecer o que o usuário deseja, e ainda pode ser apontado como conteúdo duplicado. O Google diminui o alcance de páginas com conteúdo duplicado na internet.

Mesmo assim, não descuide da qualidade da descrição técnica. É importante que os negócios de e-commerce mostrem a utilidade daquele item para o cliente, uma vez que ele não está em contato direto com o produto. 

Descrições, imagens, ficha técnica, sugestões de uso, demonstrações, vídeos, avaliações, perguntas e respostas etc. devem aparecer na página do item.

Quanto mais dados apresentados, mais tempo o visitante ficará na página e mais maduro para a compra ele ficará. Sem contar que o Google considera o tempo de permanência na página como um dos seus fatores de rankeamento. Então, de novo, seu site ganhará alguns “pontos” com o mecanismo de busca.

Seja criativo também para falar do seu produto na meta-descrição, de forma a atrair o usuário e com uma call to action para incentivar o clique. Trata-se de um resumo simples e objetivo do conteúdo da página ou do produto para que o público entenda do que se trata. 

Com isso você evita de que entrem no site, não achem o que procuram e saiam rapidamente, aumentando a taxa de rejeição, que é mal vista pelos buscadores.

Arquitetura do site

Uma loja virtual deve possuir uma arquitetura bem organizada da sua página. A arquitetura do site é o modo como seu conteúdo é organizado e como as páginas estão relacionadas. É ela que garante uma navegação amigável, simples e rápida para o usuário. 

É fundamental a criação de categorias e subcategorias, com um caminho lógico para chegar a todas as páginas, podendo se utilizar de breadcrumbs. Isso ajuda tanto o Google, como os usuários a se localizarem mais facilmente no seu site, algo essencial para proporcionar uma experiência de qualidade. 

E não podemos esquecer também de falar sobre o design responsivo. Seu e-commerce deve disponibilizar uma versão mobile que se ajuste bem a tela do celular. 

Principalmente, a navegação por uma tela menor deve ser simples. Tenha a certeza de que os botões de compra funcionam, por exemplo. Se o usuário tiver que clicar várias vezes antes da página responder, isso pode frustrá-lo e ele deixará de realizar a compra.

Se preocupar com o responsivo é importante porque, hoje, grande parte dos acessos na internet são feitos por dispositivos móveis.

Lembre-se também de montar um site visualmente atraente. Se o seu e-commerce parecer amador, não haverá SEO suficiente para atrair o cliente.

Exageros a parte, um visual pouco atraente não dará ao usuário a confiança necessária para comprar algo no seu e-commerce. Considerando que ele precisará incluir dados de pagamento no portal, e de que deseja receber um bom produto, a confiança é mais que essencial.

Velocidade de carregamento

Hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais apressadas e impacientes. Quando um site demora muito para carregar, é bem provável que os usuários acabem saindo e indo para outro, o que é péssimo para o seu negócio. 

Um longo tempo de espera prejudica a experiência do visitante e diminui os page views e conversões de um site. Desde 2010, o Google considera a velocidade de carregamento como um dos fatores de ranqueamento das páginas. 

Portanto, muita atenção para este aspecto de sua página. É como se um comprador entrasse em uma loja física e demorasse a ser atendido. Bem desagradável para qualquer um passar por isso e nada bom para a imagem de um e-commerce.

Entre os fatores que mais influenciam o tempo de carregamento de uma página estão plugins em excesso, temas mal otimizados e o redimensionamento automático de imagens.

Preocupação com as imagens do site

Imagens mal trabalhadas dentro do seu e-commerce podem ter efeito desastroso para o Google e a experiência do usuário. 

Por exemplo: se a foto não mostrar o produto correto, o usuário deixará o seu portal sem nem mesmo comprar. 

Sem contar que uma imagem no formato errado ou grande demais pode afetar o carregamento da página. Como explicamos, esse é um fator de rankeamento do Google e pode prejudicar toda a performance da loja virtual.

Pensando em tudo isso, escolha sempre imagens que realmente apresentem o produto que está sendo vendido. Quanto mais claras e detalhadas as imagens, melhor.

Elas também devem ser nomeadas corretamente, indicando o nome do produto. 

Não se esqueça ainda de incluir o Atributo Alt em cada foto. O alt deve descrever o que há na imagem, pois é isso que o usuário vai ver caso ela não carregue. Isso é comum quando a conexão web do usuário apresenta instabilidade.

O alt também é importante porque é “lido” por programas específicos para pessoas com baixa visão, por exemplo. Ou seja, ele ajuda na acessibilidade do site a diferentes consumidores.

Título e alt são ainda lidos pelo Google. Assim, é mais simples que ele apresente as fotos como resultado no Google Imagens.

Monitoramento com o Google Search Console

O trabalho de SEO para e-commerce precisa ser contínuo. Até porque, novos problemas podem surgir ao longo do tempo, e o Google também costuma mudar seus fatores de ranqueamento.

Para realizar uma boa estratégia, vale a pena inscrever seu site no Google Search Console. A ferramenta é interessante para monitorar a performance do portal no mecanismo de busca, e vai facilitar tomadas de decisão para o site.

O Google Search Console apresenta informações como: 

  • Erros de rastreamento;
  • Backlinks;
  • Links internos;
  • Erros de URL;
  • Facilidade de uso da loja em dispositivos móveis;
  • Palavras-chaves com melhores resultados para o site etc.

Análise dos resultados do site

Enquanto o Console mostra os erros em um site, principalmente, o Google Analytics é importante para monitoramento dos resultados da loja.

Ele consegue mostrar, por exemplo, o tráfego no site, de onde ele vem e que palavras-chave têm se destacado. Assim, torna-se possível pensar em novas soluções de SEO para fazer o site ranquear melhor.

Por exemplo: se o tráfego da loja tem vindo muito das redes sociais, pode ser uma boa intensificar a divulgação nestes espaços. Se a palavra-chave X tem dado bons resultados, trabalhar variações dela também pode ser vantajoso, entre outros.

No Analytics também é possível verificar:

  • Quantas páginas cada usuário acessou no e-commerce;
  • Taxa de conversão em vendas;
  • Tempo médio que cada indivíduo ficou na loja, e mais.

Uso das redes sociais

A força e peso das redes sociais é cada vez maior. Uma boa estratégia de SEO para loja virtual deve levar isso em conta, integrando o site com as redes sociais. 

Além de gerar mais tráfego, esse cuidado aumenta as chances de o usuário se identificar com a marca, manter uma relação com ela. Esses são aspectos importantes para fazer o consumidor voltar ao site e fazer novas compras.

Ao mesmo tempo, acompanhar o e-commerce nas redes sociais torna a experiência do usuário mais completa. 

Mas lembre-se que é importante manter interações para além da finalidade comercial. Isso é algo que atrai e fideliza clientes. 

Nas redes sociais, os indivíduos esperam muito mais de um e-commerce do que apenas vender. É preciso estabelecer uma relação mais humanizada e descontraída entre a marca e o público.

Ou seja, para os melhores resultados nas redes sociais, vá além da divulgação dos seus produtos. Tenha a certeza de criar uma boa estratégia de marketing e relacionamento on-line.

O que não fazer no SEO do seu e-commerce?

Agora que você já sabe o que fazer para trabalhar o SEO da sua loja virtual, é hora de falarmos sobre o que não fazer.

Isso porque, muitas vezes, na pressa por resultados, muita gente acaba aderindo a técnicas duvidosas para rankear no Google. Como técnicas de Black Hat, que citamos a pouco. 

Só que fazer um SEO ruim, ou com as técnicas incorretas, pode trazer vários prejuízos. Quando percebe um site como pouco confiável, por suas vendas ou um SEO incorreto, o Google acaba derrubando-o nas posições e pode promover ainda outras penalidades.

Isso significa que é essencial tomar alguns cuidados. Sabendo o que não fazer, será mais simples prezar pelas boas técnicas. 

Não exagere nas palavras-chaves 

Há uma técnica conhecida como keyword stuffing. Ela consiste em encher um texto ou página com palavras-chaves repetitivas, por várias e várias vezes.

Isso prejudica bastante a experiência do usuário. Quem gosta de acompanhar um texto repetitivo?

Não esconda conteúdo

Esconder textos e links no seu site pode te fazer ser mal-visto pelo Google. Evite essa estratégia!

Não use doorway pages

As doorway pages são páginas sem objetivo, “em branco”, que apenas direcionam para uma página completa. 

Essas “portas” costumam ser usadas, por exemplo, quando um site quer ranquear para determinada palavra-chave, mas não tem um URL sobre o assunto. Então, a loja cria o URL mas, ao acessá-lo, o usuário é levado a uma página completamente diferente do esperado.

Não troque links

Obter backlinks pode ser uma tarefa árdua, principalmente de sites com relevância on-line. Por isso, costuma ser tentador fazer a troca de links.

Nesses casos, seu site linkaria para o site A, enquanto o site A direcionaria um link para você. 

Os mecanismos de busca entendem essa troca, e não a veem com bons olhos. Afinal, se seu site não conseguiu o link espontaneamente, pode ser que ele não seja tão relevante quanto pretende parecer.

Assim, faça um trabalho cuidadoso de backlinks, sem que seja preciso trocá-los com outros sites.

Não falhe nas descrições de produtos

Como já explicamos, a descrição dos produtos e todas as informações apresentadas sobre ele serão decisivas na compra do consumidor. E também, claro, sobre como o Google vê sua loja virtual. 

Faça descrições detalhadas, pensando na linkagem interna, externa, uso de palavras-chave etc. O resultado será bem mais atrativo ao seu negócio.

Toda a estratégia de SEO que apresentamos neste texto pode dar certo trabalho para executar, mas é decisiva para aumentar as vendas de uma empresa.

Precisa de ajuda para seu e-commerce estar na primeira página do Google? Conheça a consultoria de SEO da Netlinks e saiba como podemos auxiliar seu negócio!

A Netlinks é especialista em SEO para e-commerce e diversos outros tipos de portal, com soluções que podem fazer bons resultados crescerem exponencialmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.